A experiência no Udemy até aqui

Ao final deste mês completaremos 4 meses no Udemy. Começamos com 1 curso, depois colocamos 2, 3, 4 e agora 5. Conseguimos mais de 1.500 alunos e, enfim, formulamos as primeiras impressões. Quer saber quais foram? Está tudo neste post.

Primeira impressão do Udemy

A impressão, após colocar o primeiro curso no Udemy, é ótima. Ela é especialmente positiva para quem já teve dificuldade anteriormente em vender cursos “na raça”, isso é, anunciando você mesmo, no seu portal de ensino, investindo para atrair pessoas, tentando converter os acessos em vendas.

Com o Udemy, você foca na produção de conteúdo e usufrui das funcionalidades prontas da ferramenta. Pelo menos no começo, enquanto está criando o curso. Ela é capaz de receber vídeos, simulados, exercícios e documentos, além de realizar o comércio eletrônico. Criar seu portal com todas essas funcionalidades demanda muito mais tempo. Tempo que você precisa para criar o conteúdo do seu curso, que, afinal, é o seu produto.

Depois do curso ser aprovado, em pouco tempo, quando nem esperava ainda, as vendas começaram a acontecer. O curso, como era novidade, ficava com o rótulo “NOVO”. Isso atraía bastante gente e vendia 1 inscrição por dia, mesmo com pouquíssimas avaliações. Como estratégia, deixei várias aulas abertas para aumentar a atração e a avaliação (assim, antes de comprar, você já tem uma ideia se gosta ou não da didática).

Segunda impressão 

É excelente também! O portal funciona redondinho em termos sistêmicos. Trabalhar com vídeos dinamicamente, permitindo uploads e downloads frequentes, envolve muito processamento, infra-estrutura e algoritmos de conversão de vídeos. Nesse ponto não tenho nenhuma crítica à ferramenta. Nunca tive problemas com disponibilidade dela, seguindo a risca o conceito de um SaaS.

Além de vídeos, que com certeza é o recurso mais utilizado atualmente, você pode ainda escrever documentos ou mesmo texto diretamente em um editor da plataforma. Existe um recurso que é o Mashup de vídeos e slides, em que é possível mesclar textos, imagens e vídeos, criando um conteúdo didático bem dinâmico.

Para a parte de controle do aprendizado dos alunos existem os simulados e questionários que podem ser incluídos em qualquer ponto do curso. Eu normalmente coloco ao final de cada vídeo, pois assim o aluno constata se conseguiu entender os principais pontos.

Cursos que visam a preparação para concursos públicos podem tirar grande proveito desse formato, em que o recurso de questões pode ser muito explorado.

Primeiras dificuldades

A primeira dificuldade acontece ao conseguir as primeiras avaliações. Elas servem como um empurrãozinho para seu curso, passando assim uma credibilidade mínima de que alguém já fez e gostou. No primeiro curso é natural você criar cupons e distribuir para seus contatos pedindo ajuda. Fiz isso para algumas pessoas e pedi um feedback sincero, de modo que convidei pessoas com diferentes níveis de conhecimento de TI para saber se o conteúdo criado seria compreendido por diferentes públicos.

Você convida várias pessoas, mas só uma parte se inscreve de fato. Então, desses conhecidos que se inscreveram, só algumas pessoas deixaram avaliação. Suspeito que o Udemy também corte algumas avaliações que veem de cupons de 100% de desconto justamente para balancear as pessoas que tem muitos e poucos contatos. Imagine alguém que consegue 300 avaliações positivas de seu netoworking já consolidado, como se não fossem efetivamente alunos do curso inserido lá. Irá mascarar totalmente os resultados, o que não é o objetivo de nenhuma das partes.

Assim, em pouco tempo, o número de avaliações ficou estacionado. A cada 10 alunos novos, no máximo 2 deixavam uma avaliação. Nos cursos seguintes, é possível que você desencane de convidar contatos. Pode preferir um feedback natural, mesmo que pequeno. Comigo aconteceu assim.

Outra dificuldade, que no começo parece que não existirá mais, persiste. Você continua sendo o maior responsável por atrair alunos para seus cursos, só que agora eles estão em um market place. Óbvio que agora vendas acontecem de forma mais frequente em relação a um portal próprio que está começando, mas está longe de ser algo progressivo linearmente, que dirá exponencialmente. Escolha alguns instrutores que você admira e repare como os números deles variam mês a mês. O número de alunos e avaliações é aberto e pode ser conferido livremente.

Primeira frustração

Para quem é perfeccionista e se cobra bastante, é frustrante receber uma avaliação negativa. O curso está com 5 estrelas, com quase 20 avaliações naturais, de pessoas que nem me conheciam, e de repente, chega uma nota 4. Nota baixa sem comentário algum, com nenhuma dica do que não gostou ou do que falta no curso para que ele vire 5 estrelas. Faz parte, tem que saber digerir.

A frustração é pior ainda quando a pessoa lhe dá uma nota baixa e sequer fez uma parte mínima do curso. Aliás, esse é um dos erros que vejo atualmente na plataforma. Só poderia deixar uma avaliação quem fez pelo menos uns 10% do curso. A possibilidade de avaliação precoce, com 1 ou 2%, pode sugerir até ser alguém mal intencionado. Principalmente quando você constata que é um usuário novo, só com nome (sem sobrenome) e matriculado apenas no seu curso, como uma conta nova criada para lhe dar uma avaliação baixa. Esquisito né, mas acontece. Não muito, mas quando acontece é bem chato.

Nesses casos é possível reportar ao Udemy, mas em geral eles não anulam a avaliação só com esses argumentos que citei. Eles avaliam se o usuário da pessoa é legítimo, se a avaliação não veio de um robô ou aspectos de fraude como esses que podem ser facilmente provados.

É algo para se lidar, saber o que responder, como responder, se deve responder ou não e seguir em frente. As críticas negativas são uma parte inevitável de qualquer curso online aberto ao público. Sejam elas devidas ou indevidas. Quando são devidas e construtivas, transformam-se em motivação para a evolução do curso.

Aumentando o leque de cursos

Como a primeira experiência foi relativamente boa, aumentamos o número de cursos. Passamos para 2, 3, 4 e hoje temos 5, dos quais, 3 pagos e 2 gratuitos. Os pagos possuem valores menores do que R$ 30,00 nos programas de promoções Udemy. Dois deles são básicos (1 gratuito e 1 pago) e 3 são avançados.

Com mais cursos, mais avaliações positivas e mais alunos, a expectativa era que os cursos fizessem cada vez mais sucesso. Ora, se em junho, com apenas um curso pago, aconteceram quase 50 inscrições, a perspectiva de crescimento é enorme. Mas na prática, isso ainda não se confirmou. A taxa das pessoas que se inscrevem versus o das pessoas que finalizam o curso é muito baixa. O padrão de comprar cursos de baixo custo faz as pessoas os comprarem, muitas vezes, só pelo preço e não pelo valor que ele agrega. Pelo conhecimento que ele transmite e, principalmente, no que ele pode ser transformado para conquistas pessoais e profissionais. O pensamento, em geral, é: “posso algum dia precisar desse conhecimento, então vou comprar enquanto está 20 reais para caso eu precise disso depois”.

Quando você compra um curso de R$500,00, por exemplo, você quer ter o retorno do seu investimento usufruindo bem daquilo que comprou. Você não compra um curso de R$500,00 para fazê-lo depois. Quando um curso é comprado por um valor muito baixo, a vontade de fazê-lo ou finalizá-lo é menor. A ideia do Udemy é ótima no sentido de disponibilizar cursos de baixo custo com as promoções para mais pessoas se capacitarem, mas ainda falta o principal requisito para cursos online, que comento aqui.

Retorno financeiro

No Udemy, você racha o lucro. A divisão é fifty-fifty. Assim, em um curso que não custa nem R$ 20,00, você fica com quase 10 reais em cada venda. Para ver os termos completos é só ir no final da página principal do Udemy e clicar em Termos.

Além disso, você recebe em dólares e o Udemy não lhe paga diretamente. Ele transfere para uma empresa de pagamentos, ou Payoneer ou Paypal. Então, você tem que criar uma conta nessas empresas para receber o dinheiro e, só depois, transferir para sua conta. Se você quiser receber o dinheiro em uma conta sua aqui no Brasil, em princípio, será taxado duas vezes, porque a fonte pagadora está nos EUA. Poderá, portanto, pagar tributos lá e aqui.

Conclusão

O Udemy é uma excelente plataforma para expor alguns dos seus cursos e conseguir maior penetração em um público que compra cursos de baixo custo. Assim, atua como uma  excelente vitrine e proporciona fácil operação. Porém, o retorno financeiro só virá com muito volume. Para chegar lá, você precisará atuar bastante na divulgação e captação de alunos.

Na prática, para nós, virou uma vitrine. Está muito longe de se tornar a principal fonte de receitas. Queremos ter os nossos cursos lá também, para nos fazermos presente nos principais market places, mas não a consideramos como principal ferramenta de vendas, pelo menos não até aqui.

Sobre o Autor

Leandro Pinho Monteiro

Leandro Pinho é engenheiro de computação, graduado em Ciência da Computação na Universidade Estadual de Maringá (UEM) e mestre em Engenharia da Computação na Faculdade de Engenharia Elétrica e Computação (FEEC) da UNICAMP, ambas formações com foco em Computação Gráfica.Possui experiência no desenvolvimento de sistemas interativos 3D para pontos de venda, marketing e eventos. Atualmente trabalha como consultor de tecnologia e é o responsável pela coordenação dos cursos oferecidos na Universidade da Tecnologia.

Curso de Programação Desenvolvedor Junior

Que tal aprender Programação a partir do Level 1 por menos de R$ 20?

Temos 102 alunos que já fizeram nosso curso de Desenvolvedor Júnior.

Digite abaixo em qual email você deseja receber o CUPOM de Desconto.

Enviamos o Cupom para o seu email. Acesse agora e Garanta seu Desconto!