Quesitos do projeto BDCD

Você já leu uma crítica de um filme em que discordou totalmente? Normalmente um crítico avalia um filme nos mínimos detalhes e, a maioria das pessoas, não. Nem sempre os melhores filmes são os que fazem mais sucesso. Do contrário também é verdade pois, muitas vezes, os grandes sucessos do ano não são os melhores filmes. Sabe aqueles que geram muita bilheteria, mas concorrem no Oscar apenas na categoria efeitos especiais? O próprio prêmio do Oscar é polêmico também, pois é fácil observar pessoas discordando das nomeações e ganhadores todo ano.

Existe um abismo de opinião e percepção entre a grande massa de pessoas que assistem filmes para as que os classificam e produzem críticas. Este post propõe um novo modelo de avaliação que usaremos em um projeto de TI que estamos desenvolvendo.

 

Portais de informações sobre filmes

Para resolver essa grande diferença, existem portais especializados em informações e avaliações de filmes. Vou citar os mais famosos na minha opinião, mas existem outros. Gosto do AdoroCinema.com e do IMDB.com.

O primeiro usa estrelas para avaliação (de 0 a 5) junto com um texto de crítica sobre o filme. As avaliações são separadas nas categorias: usuários, imprensa e portal AdoroCinema. Isso atenua o abismo que citei e, na minha opinião, o deixa mais preciso. As diferenças entre o que a grande maioria percebe para quem é mais crítico ficam evidenciadas. Contudo, de certa forma, você está preso nessas 3 categorias/perfis. A categoria de usuários continua absorvendo grande discrepância em avaliações extremas.

O segundo portal, IMDB, é muito famoso e lá as notas são de 0 a 10. As avaliações são feitas pelos próprios usuários, de forma que não existem as categorias de avaliações do AdoroCinema.com. Ele existe há muito tempo e é usado mundialmente (versões em inglês e em português). Com mais usuários, possui também mais avaliações, o que faz a média de notas sofrer menos oscilações.

Portal BCDC do projeto

Durante o curso Skill level 1: C#, desenvolvemos um portal de informações sobre filmes, chamado BCDC. O projeto possui como inspiração o portal IMDB, mas contempla algumas diferenças que permitem ao internauta encontrar um perfil de opiniões compatível com o seu. O objetivo é você achar um perfil de opinião sobre um filme que já viu que combine com o seu, para, a partir de perfis compatíveis, descobrir boas indicações de filmes para você. Existem alguns perfis pré-definidos, como:

  • Aventureiro: esse perfil gosta dos filmes mais populares e não costuma perder as principais estreias do ano no cinema. Suas características são: gostar mais dos gêneros de ação, aventura, terror e não ser tão crítico, não exigindo tanto de um filme para ele lhe divirta. Normalmente, nerds e geeks caem nessa categoria. Assim, este tipo de perfil está mais propenso a dar notas altas para filmes de ação.
  • Amoroso: perfil bem popular também, mas que curte mais os gêneros de romances, dramas ou comédias românticas. Este perfil, diferente do de cima, não faz o estilo que dá nota alta para todos os filmes de ação (não quer dizer que não goste).
  • Intelectual: este perfil é mais exigente, pois espera um algo a mais do que o simples entretenimento. Gosta de filmes cabeça, independente do estilo do filme.
  • Ranzinza: quase um crítico de cinema, pois analisa tudo com detalhe e dificilmente gosta plenamente de um filme.

Mas, com o tempo, também será possível definir novos padrões baseados em comportamentos comuns, porém diferentes dos já criados.

Como analisar um filme?

Um filme é um produto da área de entretenimento. Esta última palavra combina com diversão, sorrisos, alegria, mas para sermos abrangentes, vamos considerar entretenimento como tudo que lhe desperte boas emoções, tanto na alegria com risos quanto na tristeza com choros. Boas emoções porque você pode ver o filme, achar ele muito ruim e ficar com raiva de ter perdido seu tempo. Esta não é uma boa emoção, por exemplo, a que me refiro. Portanto, se o filme gerou sentimentos que você julga agradáveis, ele conseguiu lhe entreter e lhe pareceu bom.

Quesito 1: Entretenimento.

Esse de fato é o primeiro quesito. É claro que é uma análise superficial, subjetiva e injusta, no sentido de ser, muitas vezes, binária e totalmente dependente da opinião de cada um. Afinal, ou eu gostei do filme, porque ele cumpriu seu papel de me entreter, ou não gostei, porque perdi meu tempo vendo-0.

Apesar de toda subjetividade desse quesito, existe um fator camuflado importante: a duração do filme. Ela está diretamente ligada ao envolvimento gerado por ele. Um filme não precisa ser longo para ser bom ou para gerar entretenimento, pois um filme curto pode ser excelente, mas um filme longo que não gera um grande envolvimento faz o tempo pesar para quem está assistindo. Por isso, às vezes, uma opinião vem como: “não gostei, achei muito longo, desnecessário”. Ou até tira vários pontos de filmes excelentes, mas que se tornam super cansativos de serem assistidos. Exemplo: O Regresso, em que Leonardo DiCaprio e Tom Hardy atuam. Filme ótimo, mas muitas cenas são paradas demais em suas quase 3 horas de filme (154 minutos). Elas cansam e interferem no entretenimento.

Quesito 2: Inteligência.

O segundo quesito é a inteligência. Nele, entram: a qualidade, continuidade, coerência, previsibilidade, criatividade e ensinamentos que o enredo do filme trás.

Sabe aqueles filmes que, depois que acabam, mexem bastante conosco a ponto de impactar nossa vida, no mínimo nos fazendo refletir sobre algo? Tem também aqueles que deixam conclusões para o expectador enxergar ou mesmo finais em aberto, em que o filme praticamente não acaba ali e uma discussão sobre ele continua na internet. Muitas vezes provocam uma vontade: “quero ver de novo”.

Eles são chamados de filmes-cabeça e podem até trazer mudanças de comportamentos para sua vida. Por outro lado, não quer dizer que um filme inteligente irá, sempre, entreter. As vezes o enredo é inteligente, tenta confundir e induzir ao erro o expectador, mas quando a trama é revelada, você não se empolga. Exemplo: Um Crime no Expresso do Oriente, de 2017, que narra uma investigação do personagem Hercule Poirot, baseado nos livros de Agatha Christie.

Quesito 3: Áudio-Visual.

Na mesma linha dos quesitos acima, um filme não precisa ter computação gráfica (CG) para ser bom, e nem todo filme que tem muita CG e efeitos especiais é bom.

Filmes de romance, drama e comédia, ou documentários, não possui grande apelo pelo uso de CG. Filmes de ação, aventura e terror têm apelo.

De qualquer forma, aqui entra tudo o que é visual: além da CG e dos efeitos especiais, a trilha sonora, os efeitos de áudio, a fotografia, vestimentos, maquiagem, coreografias (em cenas de lutas, danças, corridas, performances artísticas), atuação, carisma, verossimilhança e outros itens visuais. Como não somos críticos de cinema, dá para simplificar tudo isso em um quesito só.

Aliás, um adendo. Pessoas do perfil Aventureiro pesam muito esse quesito de forma entrelaçada com o primeiro. Para eles, se o filme é repleto de cenas de ação e de efeitos especiais, ou de um  visual muito bonito, ele é capaz de entreter e é considerado um bom filme. Exemplo: qualquer filme de herói dos últimos tempos feito pela DC e Marvel. Nem todos são bons, mas a maioria do público gosta porque tem todos esses elementos que citei.

Classificação, Opinião e Listas Altos e Baixos

Para inserirmos uma crítica no nosso banco de dados, ela poderá contar com uma nota de 0 a 10 para cada um dos 3 quesitos:

  1. Entretenimento
  2. Inteligência
  3. Áudio-visual

Junto com um texto, que será de caráter opcional, para justificar a pontuação dada. Esse texto poderá conter spoilers, por isso deverá ser oculto na interface do projeto. Assim, só quem for curioso e gostar de saber sem ter visto abrirá.

Em seguida, uma opinião será dada, sem spoiler, sobre o que esperar do filme antes de vê-lo. Enquanto o primeiro item é mais matemático e segmentado, o segundo é mais humano e resumido.

Por fim, uma lista de altos e baixos será feita, com múltiplos spoilers. Ela tem o objetivo de servir como discussão do filme para quem já o viu. Assim, as listas podem aumentar e até diminuir caso alguma crítica seja revista após algum fator externo (Exemplo: uma interpretação errada).

Curtiu? Então cadastre-se na nossa lista (mande-nos um e-mail com Assunto: Cadastro) e receba novidades do portal do projeto BCDC desde seu desenvolvimento. Possivelmente abriremos cadastros especiais (como críticos) para pessoas dessa lista no momento que o sistema for para o ambiente de produção.

Sobre o Autor

Leandro Pinho Monteiro

Leandro Pinho é engenheiro de computação, graduado em Ciência da Computação na Universidade Estadual de Maringá (UEM) e mestre em Engenharia da Computação na Faculdade de Engenharia Elétrica e Computação (FEEC) da UNICAMP, ambas formações com foco em Computação Gráfica.Possui experiência no desenvolvimento de sistemas interativos 3D para pontos de venda, marketing e eventos. Atualmente trabalha como consultor de tecnologia e é o responsável pela coordenação dos cursos oferecidos na Universidade da Tecnologia.

Curso de Programação Desenvolvedor Junior

Que tal aprender Programação a partir do Level 1 por menos de R$ 20?

Temos 140 alunos que já fizeram nosso curso de Desenvolvedor Júnior.

Digite abaixo em qual email você deseja receber o CUPOM de Desconto.

Enviamos o Cupom para o seu email. Acesse agora e Garanta seu Desconto!