Principais Hardwares

No episódio anterior vimos as diferenças entre hardware e software, com classificações iniciais e exemplos de cada um dos conceitos. Neste artigo focaremos nos principais hardwares.

Principais hardwares de TI existentes atualmente

Segundo algumas definições mais genéricas, hardware é tudo aquilo que se pode tocar. Pode estar certo na teoria, mas acho complicado falar que tanto uma caixa de papelão quanto um notebook podem ser chamados de hardware. Assim, no episódio 4, definimos que hardware são equipamentos de TI, até para não incluir equipamentos eletrodomésticos, como um ventilador, no mesmo conjunto.

Dica para concurseiros: caso alguma prova cobre esse conceito em sentido amplo é preciso estar atento para a intenção da banca, mas até agora, pelo que encontrei de questões no caderno de Informática básica, o único sentido cobrado está estritamente relacionado aos equipamentos de TI.

Equipamentos mais usados

Feita essa consideração, vamos pensar quais são os principais hardwares atualmente. Por principais, entendemos os mais utilizados pelas pessoas e empresas.

Pense rápido: “qual é o equipamento mais usado no mundo atualmente?”

O número 1 é, disparado, o telefone celular. Com uma grande variedade de modelos e faixa de preços, adolescentes e adultos de diferentes classes sociais possuem um. Até crianças, muitas vezes, têm um contato prematuro com esse tipo de equipamento.

Smartphone, Smartwatch e Smart qualquer coisa

O telefone celular de hoje recebe um nome especial: smartphone. Em português, significa telefone inteligente. Na literatura, smartphone é um telefone com funcionalidades similares a de um computador. Na prática, gosto de considerar e explicar que smartphone é um celular que possui um sistema operacional (SO). Assim, fica fácil diferenciar os aparelhos antigos, que só realizam ligações efetivamente (e não possuíam SO), dos atuais que possuem SOs como Android, iOS e Windows Phone.

Segundo essa consideração, o prefixo smart significa possuir um sistema operacional. Uma SmartTV, por exemplo, é uma TV inteligente que possui um sistema operacional. Ela permite navegar na internet quando conectada via cabo ou wifi. Um relógio inteligente, ou smartwatch, também possui um sistema operacional. Vamos falar mais de SO nos episódios referentes a software.

Para os leitores mais antenados com novas tecnologias, vou dar alguns contra-exemplos aqui e defender minha consideração. Smart Glass é o nome dado um vidro inteligente, capaz de atuar como vidro, transparente, ou como monitor, opaco. Esse equipamento também é conhecido como LCD transparente. Esse hardware não possui sistema operacional. Pelo menos por enquanto, pois se ele também é um monitor, é uma questão de tempo até que exista uma versão Smart Glass com SO, similar a uma Smart TV. Por fim, Smart Glasses são óculos de Realidade Aumentada e Virtual equipados com um computador interno e, naturalmente, com um SO.

Notebook, Ultrabook, Netbook e outros computadores portáteis

Logo depois, na lista dos equipamentos mais usados, vem o notebook. Devido ao seu tamanho (ocupa pouco espaço) e a sua característica de mobilidade, muitas empresas adotaram o notebook como estações de trabalho (workstations) dos funcionários. Existe também muita diversidade nos notebooks, desde tamanhos, especificações técnicas e preços.

Notebooks são, essencialmente, computadores em tamanho reduzido. Eles possuem as mesmas partes internas, com exceção de possuírem bateria no lugar de uma fonte de energia. Isso gera autonomia de uso e permite mobilidade quando comparados aos compactuadores tradicionais, chamados de desktops ou PCs, que funcionam ligados na tomada direto.

Contudo, devido ao tamanho reduzido, o notebook tem um limite físico de processamento. Por mais que existam notebooks gamers, eles não batem o desempenho de um computador topo de linha. O tamanho dos notebooks concentra-se em telas de 17” a 13” polegadas, sendo as 15” e 14” as dimensões mais comercializadas.

Um ultrabook é um notebook mais fino e mais leve, mas normalmente eles vem com configurações excelentes em termos de partes internas e por isso custam caro. Por exemplo, a maioria usa SSD (Solid State Drive), que é uma tecnologia de armazenamento bem mais rápida do que um HD (Hard Disk – disco rígido).

No outro oposto, temos o netbook, que é um notebook com recursos limitados. O foco desses equipamentos é produzir um equipamento de baixo custo, por isso possuem telas de 10” ou 8”.

Por último, temos os computadores portáteis. Você pode pensar neles como tablets que rodam um sistema operacional de um computador, como o Windows. Eles possuem bastante variedade e podem ser referidos como outros nomes, como PDA, tablet-PC e UMPC, de Ultra-Mobile PC. Normalmente, possuem telas de 7 a 8 polegadas.

Mobile

Mobile quer dizer dispositivo móvel e pode referir-se a um smartphone, tablet ou smartwatch, mas essa lista pode aumentar. Por exemplo, um UMPC pode ser chamado de mobile, afinal ele é uma espécie de tablet-PC como falamos acima. Já um notebook possui como característica a mobilidade, mas na prática não o classificamos como um dispositivo móvel. Você não sai usando ele no meio da rua como o faz com um celular ou tablet. Por isso, só ter bateria não faz do equipamento um dispositivo móvel.

O Google Analytics, ferramenta de análise de tráfego de usuários em sites, os equipamentos são divididos em 3 categorias: Desktop, Mobile e Tablet.

 

Reparem que, diferentemente do que expliquei acima, o termo Mobile refere-se apenas a smartphone. Tablet aparece em outra categoria. Não sei dizer o motivo dessa nomenclatura, mas me parece natural e importante separar os acessos de tablets de smartphones. Tablets possuem aspecto de tela na horizontal (formato paisagem, mais largura que altura quando usados da forma padrão). Já os os smartphones possuem tela na vertical (retrato, mais altura que largura). Apesar desses equipamentos permitirem a rotação de tela, essa forma padrão de uso deve ser levada em conta em desenvolvimentos de apps.

Quando um cliente fala que um app deve rodar em um mobile ou dispositivo móvel, em qual equipamento você pensa?

Como eu penso naquela lista que dei acima, sempre pergunto ao cliente:

— Qual dispositivo móvel o app deverá rodar? smartphone? Smartphone E tablet? Ou tablet?

Essa resposta é bem importante para o planejamento do desenvolvimento.

Apesar de eu ter incluído smartwatch em mobile, ele atualmente ainda é menos comum do que smartphone e tablet.

Tablet

O mais famoso é o iPad, que é o tablet da Apple e roda o sistema operacional iOS. Atualmente ele possui uma versão que bate de frente com notebooks, o iPad Pro.

Depois, temos os tablets que rodam Android: Samsung Galaxy, Google Nexus, Motorola, Dell e várias outras marcas.

Uma terceira frente tem crescido: os tablets Fire da Amazon. Eles rodam um sistema operacional próprio da Amazon, possuem telas de 8” e tornaram-se famoso com sua versão própria para leitura, o Kindle.

Computador

O significado do termo computador evolui ao longo do último século. Em uma discussão de arquitetura de computadores contada cronologicamente, esse fato fica bem nítido. Antigamente computador remetia aos de grande porte, os servidores, chamados de mainframes. O computador pessoal (PC), por exemplo, que tinha processador 286, 386, 486 até o Pentium, era chamado de microcomputador. Com o tempo, os computadores pessoais começaram a ganhar mais e mais poder de processamento. Em questão de anos, um PC era capaz de fazer o que só um computador de grande porte faria anos atrás. Assim, com o avanço da indústria, vários tipos diferentes de computadores começaram a surgir.

O que caracteriza um computador são suas partes principais, também conhecidas como componentes: CPU (unidade central de processamento, o processador), placa-mãe, memória principal (RAM), memória secundária (HD/SSD) e demais componentes e periféricos, como fonte de energia, tela/monitor, placa de vídeo, teclado, mouse etc. A maioria dos computadores que conhecemos são baseados em uma arquitetura de hardware chamada Von Neumman, que vamos ver na segunda temporada.

Equipamentos que podem ser chamados de computadores

Por ora, vamos entender quais equipamentos o termo computador pode abranger.

Um computador, primariamente, refere-se a um PC, ou seja, computador pessoal, que também é chamado de desktop.

Um computador portátil, com bateria no lugar de fonte, é um notebook, mas pode ser também um ultrabook, netbook ou qualquer um dos que vimos anteriormente (como um computador portátil, UMPC etc).

Um desktop montado para o trabalho é chamado de workstation, seja ele um PC ou um notebook.

Um equipamento conhecido como all-in-one é um desktop com monitor, teclado e mouse integrados. Normalmente, os componentes ficam integrados na mesma estrutura do monitor, mas podem haver exceções. Alguns all-in-one também possuem tela touch.

Principais Hardwares

All-in-one da Dell.

 

Um servidor, que é um computador de grande porte montado para fornecer recursos para outros computadores, também pode ser chamado de computador.

 

Tablet vs Desktop

Não encontrei uma fonte confiável de qual dos 2 equipamentos acima é o mais usado atualmente. Eu acho que é o Desktop, até porque os tablets passaram recentemente por uma queda muito grande. É fácil entender isso: o tablet não é pequeno para ser usado como o celular no dia a dia e nem tão grande para ser confortável de ser usado no lugar de um notebook. Assim, por algum tempo, eles caíram em desuso. Agora, com tablets que conseguem agregar o mesmo desempenho que notebooks, mas com maior mobilidade, eles voltaram a ganhar terreno. Mesmo assim, mesmo que o público que usa um iMac (desktop da Apple) não é o mesmo público que usa um iPad Pro. Por exemplo, um editor de vídeo que usa um iMac, hoje, não consegue fazer seu trabalho com a mesma produtividade em um iPad Pro.

Nomes de equipamentos da Apple

Notebook da Apple cham-se Mac Book, que possui a versão normal, e a versão Mac Book Pro, a qual possui componentes com especificação técnica superior.

Desktop da Apple chama-se iMac.

Tablet da Apple cham-se iPad, que também existe na versão iPad Pro.

Smartphone da Apple cham-se iPhone.

PC está em extinção

Muita gente costuma pensar e falar que o PC/desktop está em extinção. O argumento é evidente: com o acensão dos celulares, logo o smartphone começará a fazer tudo o que um computador faz. Será mesmo?

Eu concordo que cada vez mais smartphones fornecerão opções para trabalhos que são feitos exclusivamente em PCs hoje, isso é inegável. Agora, será que esse fornecimento da mesma tarefa, mas com um equipamento menos potente, será suficiente para eliminar o PC?

Acredito que não, por um grande motivo: produtividade. E produtividade está atrelada ao tempo e ao dinheiro.

Imagine um editor de vídeo que usa um iMac topo de linha. Mesmo que um iPhone consiga oferecer um software editor de vídeo para ele, a tela pequena e a menor capacidade de renderizar comparada a um iMac vai impactar no número de vídeo que podem ser editados por dia. Trata-se de uma questão física. A capacidade de processamento por tamanho ainda é e será por muito tempo o grande gargalo. Do mesmo jeito que a tecnologia avança para tornar peças em miniatura mais potentes, os equipamentos maiores, robustos, feitos para serem usados em PCs, também avançam.

Por isso, profissões que possuem maior produtividade atreladas a um computador workstation, como editor de vídeo, desenvolvedor de software, arquitetos, engenheiros, designers e outras, sempre optarão por um PC. Gamers também contribuem bastante para o uso de PCs.

Contudo, usuários que dependem hoje de um computador apenas para usar softwares de escritório e administrativos, ou ainda, qualquer tipo de software leve, cujo hardware não é tão importante, continuarão a fazer a migração para um notebook ou tablet.  Por exemplo, uma pessoa que só ferramentas do pacote Microsoft Office, Word, Excel, Power Point e outras, não tem muitos motivos funcionais para usar um PC, apenas a questão do gosto mesmo.

E o resto, não é hardware?

Uma câmera, um monitor externo, um teclado, um mouse, um fonte de ouvido, uma impressora, não são exemplos de hardwares? São sim, todos são equipamentos de TI. Assim, genericamente podemos chamar todos esses, como outros (caixa de som, escâner, leitor bluetooth etc) de hardware, mas alguns recebem outros nomes mais usuais.

Por exemplo, partes internas do computador, como placa-mãe, placa de vídeo, memória RAM e outros, chama-se componentes.

Fonte de ouvido, mouse, teclado, normalmente são chamados de acessórios.

Alguns equipamentos que desempenham papéis mais significativos, como monitor, projetor e impressora, são chamados de periféricos, mas é possível que os acessórios apareçam como periféricos. Exemplo: o site da Kabum trata todos como periféricos.

Cartuchos de tinta e itens que servem de insumos para equipamentos são chamados de suprimentos.

Veja, portanto, que nessa parte não existe muita regra. Os concursos públicos também não cobram essas diferenças, afinal não existe na literatura algo bem atualizado e consolidado atualmente. Uma pen-drive, que é um dispositivo móvel de armazenamento via USB, pode ser chamada de hardware, acessório, periférico ou suprimento. O mesmo vale para um cartão de memória que pode ser lido em um computador.

Hardwares

Apenas como curiosidade, a palavra hardware, em inglês, não possui plural. Portanto, “hardwares” não existe em inglês. Quando comecei a dar aulas online eu gostava de explicar esse detalhe, mas, embora a teoria explicada esteja correta, acho constrangedor escrever em português “os hardware”. Primeiro porque estou combinando uma palavra em português, o artigo “o” no plural, com a palavra em inglês hardware. Segundo porque hardware pode ser substituído por equipamento, que possui plural com s. Por isso, mesmo sabendo que a palavra não existe em inglês, passei a utilizá-la sem nenhuma vergonha, mas se eu for produzir uma redação para um concurso público, por exemplo, não a usarei. Faço o mesmo com software e softwares.

Ficha Técnica

Série: Grade Mestre de Ciência da Computação, Temporada 1, Episódio 5.

Área: Tecnologia da Informação

Matéria (disciplina) da grade mestre: 1. Fundamentos de TI

Tópico: 1.2 Principais Hardwares, Plataformas e Partes dos Principais Hardwares

Checkpoint: (A) Principais Hardwares

 

Sobre o Autor

Leandro Pinho Monteiro

Leandro Pinho é engenheiro de computação, graduado em Ciência da Computação na Universidade Estadual de Maringá (UEM) e mestre em Engenharia da Computação na Faculdade de Engenharia Elétrica e Computação (FEEC) da UNICAMP, ambas formações com foco em Computação Gráfica.Possui experiência no desenvolvimento de sistemas interativos 3D para pontos de venda, marketing e eventos. Atualmente trabalha como consultor de tecnologia e é o responsável pela coordenação dos cursos oferecidos na Universidade da Tecnologia.

Curso de Programação Desenvolvedor Junior

Que tal aprender Programação a partir do Level 1 por menos de R$ 20?

Temos 140 alunos que já fizeram nosso curso de Desenvolvedor Júnior.

Digite abaixo em qual email você deseja receber o CUPOM de Desconto.

Enviamos o Cupom para o seu email. Acesse agora e Garanta seu Desconto!